RSS

Deus não quer musicalidade


Por: Ramon Tessmann


Falhamos quando pensamos que Deus está à procura de músicas lindas, arranjos bem executados e acordes complexos. Muitas vezes não compreendemos que nosso grau de musicalidade não vale nada perante Ele. Deus não está a procura de pessoas talentosas e muito menos deseja seus talentos. Ele quer corações! Deus deseja encontrar corações contritos, humildes e que O amem de verdade. Não importa se estou executando um dó maior ou cantando duas oitavas acima, se meu coração não está “executando” a verdadeira adoração ao Pai, estou perdendo tempo.É evidente que a verdadeira adoração requer o meu melhor. É no meu melhor que Deus se compraz e se agrada. Por isso, quando você for oferecer algo ao Senhor, ofereça nada mais que o teu melhor. Se o teu melhor é executar três acordes, então execute os três acordes. Se o teu melhor é executar oito acordes dissonantes e três consonantes, execute-os. Mas, lembre-se, perante Deus esta diferença técnica não fará diferença alguma. Todavia, não caia na mediocridade de dizer: “Para Deus qualquer coisa vai!”. Quem profere este tipo de frase joga na cara de Deus que Ele não merece nenhum um pouco de esforço! Ofereça o teu melhor com sinceridade e pronto!Querido irmão, siga o meu raciocínio. O que faz Deus descer da Sua glória e majestade, onde está rodeado por anjos prostrados em adoração constantemente, para ouvir o seu Zé tocar um violão desafinado num culto de terça-feira à tarde? Será que é o seu talento? Será que é o seu grau de musicalidade? É óbvio que não!!! O que faz Deus escutar o louvor do seu Zé é a postura de seu coração, que é sincero, humilde e agradável aos Seus olhos! É a retidão de seu Zé que atrai a atenção de Deus. Não é exatamente isso que os versos de João 4.23,24 nos ensinam? Só para comentar, lá diz que Deus procura verdadeiros adoradores, não adoradores talentosos! Então, Deus não quer músicos bons, cantores super afinados, e corais que conseguem dividir as vozes em todas as classificações possíveis... se fosse assim, Tom Jobim teria se convertido !?! Querido, reflita no parágrafo abaixo. Os melhores corais que existem estão no céu, louvando a Deus. Os melhores músicos estão ao redor de Deus em adoração. Os bateristas e percussionistas mais rápidos que existem são celestiais. Deus é o melhor músico que sempre existiu, de eternidade à eternidade e dizem que o segundo melhor se desviou. Realmente, o nível musical do céu não é brincadeira! Sabendo isto lanço um questionamento: Há alguma coisa que possamos fazer aqui no planeta Terra, que não haja melhor lá no céu? Será que existe algo que possamos fazer que seja comparável ao que os seres celestiais estão oferecendo a Deus neste exato momento? Será que o som dos melhores equipamentos de áudio disponível nas igrejas de hoje chega aos pés do glorioso som produzido no céu? Não irei responder a estas perguntas... Querido irmão, o louvor e a adoração que oferecemos a Deus dependem unicamente de duas coisas: nossa motivação e o estado do nosso coração. Não dependemos de profunda teoria musical para agradar ao Pai. Aliás, não dependemos de teoria musical alguma. Simplesmente, façamos o possível para oferecer o nosso melhor. Deus não está interessado no teu pior, muito menos no teu melhor insincero. Agora podemos compreender com mais clareza que Ele não está à procura de músicas lindas, arranjos bem executados e acordes complexos. Ele está a procura de corações. Ele procura corações que “executam” uma verdadeira adoração. Se você tiver alguma dúvida sobre esta questão, pergunte a Jesus. Foi Ele quem disse isso.


Ramon Tessmann é músico, dirigente de louvor e conferencista na área de adoração e avivamento.



Artigo retirado do site: http://www.vidanovamusic.com/

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comentários:

Luciano Tadeu disse...

Muito bom! Tem uma canção do David Quinlan que diz que "não adianta nada levantar as suas mãos sem o coração junto",... que de fato cada um de nós tenha isso em mente. Artigo show de bola!

Elder Moraes disse...

Show! Que possamos investir em técnica, para não oferecermos qualquer coisa a Deus. E que possamos investir nosso coração nEle, para que nossa técnica não vire exibição. O nosso melhor pode não ser o melhor do mundo, mas é o que Deus quer de nós!

Postar um comentário